segunda-feira, 6 de julho de 2009

Torcedores de SP pedem volta de bandeiras

Da reportagem Local
Foolha de SP


As torcidas de São Paulo se movimentam nos bastidores para voltar a ter um direito que é garantido aos seus pares em todo o país: levar bandeiras com hastes ao estádio.

No fim de 1996, o governador Mario Covas sancionou lei que instituía essa proibição. A medida foi adotada um ano depois da confusão generalizada no jogo entre as equipes juniores de São Paulo e Palmeiras, que resultou na morte de um torcedor.

Neste ano, o deputado estadual Bruno Covas (PSDB- -SP), neto do falecido governador, reabriu o debate, promoveu uma audiência pública e abriu a possibilidade de ser criada uma nova lei que revogue a anterior.

O ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., mostrou-se favorável ao retorno das bandeiras com mastros, conhecidos entre torcedores como "bambus", aos estádios.
Numa conversa com Marco Polo [Del Nero, presidente da federação paulista], eu perguntava por que não poderia voltar a ter "bambu" nos estádios. O Andres [Sanchez, presidente do Corinthians] deu uma solução. Disse que o melhor modo seria anotar o nome do responsável pela bandeira. É essa a lógica. Responsabilizar o torcedor", comentou Silva Jr.

O juiz de paz Danilo Zamboni, que intermedeia discussões entre torcedores e autoridades, falou que a federação e a PM são contrárias à volta das hastes. (MB)

Fonte : Folha de São Paulo

****---------****----------****-----------****-----------****----------*****------

Referente a matéria acima da folha on line explanarei mais alguns pontos.


A reivindicações pelos bambus são antigas. Alguns anos as lideranças expressam isso as autoridades paulistas. Questão é que trata-se de uma Lei estadual, no qual para alterar-se respectivo páragrafo depende dos Deputados Estaduais.

Já deveríamos ter-nos articulado junto aos Deputados Estaduais para as alterações necessárias mas nossos processos de articulações são morosas. Recentemente a TUP foi atrás e também fomos conversar com alguns deputados.

Mês passado houve uma Audiência na Assembléia Legislativa organizada pelo mandato do Deputado Bruno Covas tendo em pauta esta lei que os proibe.

Não comprendi bem o envolvimento de Bruno Covas com esta pauta, mas a Audiência acabou virando um grande debate sobre vários assuntos. Foram convidados para compor a mesa o Promotor Paulo Castilho, Comandante do 2. Batalhão de Choque, Marco Aurélio Klein como representante da FPF, Danilo Juiz de Paz, os presidentes das Torcidas Gaviões, Independente e Mancha Alvi Verde.

O Promotor Paulo Castilho se diz a favor da alteração do paragrafo que menciona a proibição dos mastros para as bandeiras, declarando isso as Torcidas Organizadas já algum tempo. Nesta audiência ressaltou seu favorecimento e se disponibilizou para propor a alteração do paragráfo. Em concordância com os dirigentes das Torcidas Organizadas a entrada dos bambus seria nos mesmos procedimentos atual com os intrumentos, tendo um representante responsável com notificação antecipada nas reuniões preparatórias para os jogos.

Marco Aurélio Klein representando a Federação Paulista de Futebol deixou claro o posicionamento contra o retorno dos mastros.

O Comandante do 2. Batalhão de Choque, como a FPF, é contra o retorno dos mastros, com a alegação que as hastes podem ser usadas em confrontos com os policiais.

Danilo na mesma linha do Promotor e tendo entendimento com as Torcidas mencionou seu favorecimento pela alteração da lei.

Após estes pronunciamentos os presidentes convidados a mesa ressaltaram o pedido da mudança dos paragrafos na lei e o comprometimento no procedimento para a entrada dos mastros.

Esteve presente no evento a assessoria do Deputado Aldo Rebelo que também ressaltou o apoio a mudança da lei que vigorá tal proibição.

Tendo oportunidade para inscrições para perguntas e colocações diversas o evento virou um verdadeiro balaio do gato e o Deputado, acredito que não tendo muitos subsídios dos temas e pautas debatidas acabou ficando meio perdido em muitos momentos.

Enfim, numa avaliação pessoal, acredito que não avançamos muito. Promotor ressaltou novamente seu favorecimento a volta dos mastros, PM e FPF contra, mas valendo para fortalecer o debate na casa legislativa.

Hoje temos o Ministro a favor.

As Torcidas Organizadas tenham que se organizar para solicitar junto aos Deputados Estaduais esta alteração. A Lei quando foi aprovada, 96, após oo marcante fato do Pacaembú teve aprovação ampla do legislativo. Hoje, para conseguirmos o apoio da maioria dos Deputados, temos que minimamente oferecer um sibsídio de informações expressando os procedimentos de entrada dos materiais das Organizadas, procedimentos de prevenção a violência, mostrar de diversas formas, com fotos e exposições de vídeos, a grande diferença nos estádios brasileiros, entre os estádios com bandeiras e nossos estádios paulistas proibidos.

Acredito que oferecendo um subsídio aos diversos Deputados conseguimos conquistar a alteração da lei. Procurar as lideranças dos partidos politícos e fazer um trabalho em cada gabinete se necessario. Acredito que seja muito possível esta conquista.

2 comentários:

Daniel Damásio disse...

Fala, Pulguinha! Graças a Deus que ainda tem uma trincheira de resistência contra essa demência que há 15 anos avacalha com o torcedor paulista. Se o problema é as tribunas da Assembléia, eles sabem como é que fazem pra levar vantagem. Temos o Ministro a favor, como você disse. Agora, que a politicada e a FPF/PM que pertencem a mesma raça se virem! Tenham vergonha na cara! A TRADIÇÃO DAS BANDEIRAS NÃO DEVE MORRER!!!
Te linkei no meu blog! Abraços!!!

Kleber disse...

E ae pulguinha, sei que não vira mto isso de video na internet.
mas olha essa musica http://www.youtube.com/watch?v=LsSAZU88hJE

os gavioes ta faltando incluir uma musica mais harmonica nas arquibancadas.
Ve se vinga ai, qualquer coisa mando umas 100 copias pro endereço da sede com essa musica pra vc distribuir pros amigos.
se quiser manda um email para hansfidalgo@hotmail.com

serve como msn tbem .. abraços