domingo, 5 de julho de 2009

Encontro Nacional das Torcidas Organizadas em SP

Este fim de semana, 04 e 05 de julho foi realizado em São Paulo um encontro com as maiores Torcidas Organizadas do estado brasileiro.

Encontro realizado e financiado pelo Ministério dos Esportes. Foi convidado 02 representantes das grandes torcidas do estado de São Paulo e dois de cada demais estados, sendo apenas um bancado pelo Ministério.

A proposta do Ministério conforme a divulgação do evento no site do governo federal seria para debater segurança e qualidade dos serviços nos estádios brasileiros.

Barrado no Baile


Sou liderança dos Gaviões, atuante nas arquibancadas, mas por pertencer ao coletivo da Rua São Jorge fui impedido de diversas formas de participar.

Fui procurado semana passada pelo Marcelo, Presidente da TUP. O chamado do Marcelo foi com intuito de juntos trabalharmos questões envolventes com o processo de prevenção na violência no futebol, projetos em pról das organizadas e a possível volta do MTO para atuar pelas torcidas em algumas pautas de relêvancia para as Organizadas de SP.

Nesta mesma conversa nasceu a idéia de aproveitarmos as presenças das demais organizadas em São Paulo e realizarmos um encontro nosso, sem autoridades, algo alternativo com pautas de maior relevância a nós Torcidas, assim propomos a articular o I Congresso das Torcidas Organizadas que seria na sede da TUP.

Fiquei entusiasmado com a idéia, qualquer progressividade no assunto estou dentro. Mas ciente de algumas preocupações tomei algumas iniciativas.Primeira pessoa que tinha que notificar quanto a proposta feita tinha que ser nosso presidente Pancthinho e depois as diversas lideranças da coletividade da Rua São Jorge. Falei com o Marcelo na sexta feira, pensei muito no fim de semana e segunda já estava nos Gaviões com o presidente. Expliquei toda proposta. A preocupação maior seria minha presença ser relacionada ao Movimento da Rua São Jorge. A idéia foi muito clara, meu envolvimento se daria como representante das Torcidas, sendo os representantes dos Gaviões eles mesmo da diretoria. Segundo o presidente não enxergava problemas.

Depois explanei com a coletividade da Rua São Jorge tendo o entendimento de todos.

Minha idéia mesmo estava na realização da atividade alternativa na TUP. Mas o Marcelo mesmo acreditava que eu deveria ir no evento do Ministério dos Esportes como representante do MTO. Ali sabia que daria poblemas, mas com o apoio do Marcelo e com o alvará que estava acreditando ter de nossa sede, conseguiria passar as barreiras.

Começamos a articular algumas coisas. COnversas com demais torcidas, preparo de documentos, envolvimento de uma equipe capacitade para mediar o evento, enfim, as estruturas necessárias para a realização deste Congresso na TUP.

Para mim, estava tudo certo com as demais torcidas sobre meu envolvimento até porque o próprio Marcelo estava cuidando disso. Marcelo enxergou os desafios. Restrição a minha pessoa devido pertencer a Rua São Jorge. Para mim estava certo, até junto as Torcidas com as maiores restrições, Independente e Jovem do Santos. Mas não, não foi assim. Primeiro porque não ficou claro as estas torcidas paulistas quanto a volta e o porque da volta do MTO. Consegui ainda ressaltar a Mancha através de outros contatos diretos. Mas quanto as possíveis rejeições a minha pessoa o Marcelo trataria.

Mas o preconceito maior foi quando enviei o e-mail para a funcionária do Ministério dos Esportes. Ciente e instruída em barrar membros de nossa coletividade, respondeu-me secamente vetando a inscrição. Enviei novamente e que minha ida ao evento se daria pelo possível retorno do MTO e que tínhamos propostas a serem entregues ao Ministro para debates posteriores e que estes projetos estavam avalizados por algumas torcidas. Mencionei todas as Torcidas no e-mail, todas as que vinha falando dividindo o pacote de ideías. Neste e-mail ao Ministério pedi que quaisquer duvidas me ligasse mas para minha surpresa ela ligou para diversas torcidas expressando minha proibição devido os prazos burocráticos. Fiquei em situação deselegante até.
Nisso Marcelo da TUP recebe a ligação também. Diferente dos demais, brigou pela minha ida, olhou pelo propósito das Organizadas, pois me conhece e sabe de minhas intenções, não olhou com rusgas de vaidade. Marcelo brigou pela minha ida e logo depois recebe ligação de uma das autoridades do evento. A situação é clara, Rua São Jorge não é bem vindo. Marcelo tenta explicar, Pulguinha não esta respondendo pelo Movimento Rua São Jorge, sim pelas propostas que iriamos apresentar. Mas não, sem efeito e nossas questões serão debatidas em bastidores com as autoridades.

As Torcidas mencionadas também não concordaram e assim as idéias que estavámos propondo não encaminhou-se. Quer dizer, algumas tentaram encaminhar.

A proposta que estávamos articulando seria de acompanhar normalmente o evento do ministério e conforme nossa preparação, realizar o I Congresso das Torcidas na sede da TUP. Já tínhamos fechado entre Gaviões, Mancha, TUP, Jovem da Ponte, Cearamor, Jovem Fla, Raça, Fúria e cada qual mencionando as torcidas de suas demais relações de dialogo.

Mas para minha surpresa foi puxado um bate papo alternativo na sede dos Gaviões. Mas sem maiores avanços pelo que entendi.

Minha proposta como evento alternativo era uma coisa preparada coletivamente, várias torcidas envolvidas e teríamos aproveitado o momento.

Tínhamos uma pauta elaborada que seria :

a) Apresentarmos um manifesto a Lei no senado Federal que queremos alteração de dois paragrafos que diz quanto a generalização e de responsabilidade civil das Torcidas nos atos individuais de seus associados, seja nos trajetos ou imediações dos estádios.

A proposta seria apresentar o manifesto, convidar a todas entidades a participar, que cada torcida organizada de cada estado encaminhasse aos senadores de seus respectivos estados e tiraríamos uma comissão para uma audiência com o presidente do senado.

b) Apresentarmos um manifesto referente aos valores dos ingressos e qualidade dos serviços nso estádios brasileiros

Encaminharíamos este manifesto aos Procon de todos os estados, demais órgãos do consumidores, as Federações dos estados brasileiros, e órgãos de inspeções dos estádios brasileiros.

c) Apresentarmos um Manifesto contra a truculência policial nos estádios brasileiros e pedido de criação de uma policia especializada nos estádios de futebol.

Um manifesto contra truculência policial nos estádios brasileiros, hoje em evidência devido alguns fatos lamentaveis, como a morte do torcedor em Goiania com um tiro na cabeça, como a torceora do São Paulo sendo pisada no pescoço no clássico no morumbi, como no mesmo clássico, a barbaridade feita pela policia militar, dentro e fora dos estádios depois do jogo. Recentemente vimos um torcedor do cruzeiro apanhar de costas e parado no parque antartica. Acreditamos na possibilidade da criação de uma policia especializada para os estádios brasileiros, com outros valores e respeitabilidade junto aos torcedores.

d) Apresentação da Federação das Torcidas do Rio de Janeiro

e)Apresentação do Plano de Prevenção e Segurança para o Futebol Brasileiro
Tínhamos a intenção de entregar esta proposta ao Ministro para posterior avaliação.


A proposta parte do acompanhamento das Torcidas Organizadas para suas viagens em jogos em outros estados.

Hoje, quando uma Torcida se organiza para acompanhar seu time em outros estados passa-se por alguns desafios. Saber se terá um esquema de segurança no estádio para a torcida visitante, dúvida de trajeto para respectiva chegada, venda de ingressos, trato policial e o cumprimento dos direitos básicos de local para alimentação e banheiro com condições de uso.

Além dos desafios mencionados, tem as questões da adversidade ou não com a torcida do time adversário. Hoje este aspecto, ainda não bem compreendida pelas autoriaddes ainda pode ser pontos de risco em jogos do campeonato brasileiro e Copa do Brasil.

Estes problemas inter-regionais estão crescendo e em muitos estados sem a ciência das autoridades locais, sem a leitura da adversidade e os potenciais de risco entre torcidas de estados diferentes.

Nossa proposta seria em evitar estes riscos e sanar os desafios mencionados.

Hoje as Torcidas quando viajam o unico procedimento de segurança que podem acionar é entrar em contato com o policiamento responsável pelo jogo. Imaginem as dificuldades existentes.

Nossa proposta é que o Ministério dos Esportes institua uma secretária para centralizar informações, mapear e classificar os potenciais de risco a nível nacional de cada torcida organizada, acompanhar e contribuir entre os contatos entre torcida e polícia militar nos diferentes estados, que seja um ponto de referência e extensão dos planejamentos de segurança para jogos e campeonatos de nível nacional.

Esta secretária seria composta por dois membros indicados pelo Ministério dos Esportes, uma vaga do Ministério da Justiça, duas vagas indicados pelas Torcidas Organizadas, representante dos Direitos Humanos, pesquisadores e especialistas na prevenção a violência no futebol.

E como última proposta, um Plano de Prevenção a violência para o Estado de São Paulo.

Tínhamos propostas e poderíamos sim ter contribuido com o momento. Pior é o preconceito. Como construir o caminho da paz tendo erros grosseiros de descriminação ?

Se estamos tendo restrições junto as demais torcidas, até dentro da nossa própria torcida, procurarei encaminhar nossas propostas por outras vias, expressar através de debates diversos e em nossos veículos de comunicação. Temos propostas e serão ouvidas e chegarão onde devem chegar. Nâo me importa em que nome estará sendo assinada, o que me importa são ve-las sendo trabalhadas pelo bem estar do povo aglotinado no Movimento de Torcida Organizada de todo Brasil.

Pulguinha
liderança, ex-Vice Presidente,
ex - membro do extinto Conselho Deliberativo
Gaviões da Fiel Torcida

2 comentários:

alesapao@bol.com.br disse...

Não gostaria de criar mais polemica e muito menos criar confusão entre os membros da familia,porem, se todos buscam a paz e buscam uma melhor condição pra todas as T.O.´s do Brasil, por que o Pulguinha foi proibido de participar? É facil achar fotos e videos do encontro na net, mas e o resultado do encontro?
Será que o Pulga e a RSJ são os problemas das torcidas do Brasil?
Algo não está cheirando bem nessa história....Vai Corinthians!!!

ULC disse...

Paz e descriminação são antagônicos... A medida que vc pensar em segregar, escantear, separar e não em aglutinar cada vez mais, a "tão buscada paz e união" será cada vez mais um sonho distante.

Lamentável essa atitude deles...


Jamais nos calarão...!!!